Com tecnologia do Blogger.

AS ORIGENS DO PERFUME



O nome "Perfume" deriva do latim "Per fumum" ou "pro fumum", que significa "através do fumo".Os mais antigos frascos de perfumes de que se tem noticia datam de 5000 a.C. Pensa-se que a arte da perfumaria se terá iniciado ainda na Pré-História, quando o homem primitivo aprendeu a fazer o fogo e descobriu que certas plantas libertavam fragrâncias agradáveis quando queimadas. A queima de plantas raras estava associada a cerimónias religiosas. Eles também acreditavam que a fumaça que ascendia aos céus podia atrair a atenção dos deuses. Eram utilizados o sândalo, canela, cálamo, bem como mirra, incenso, e cedro do Líbano.Os Egípcios foram o primeiro povo a fazer utilização do perfume. A fabricação artesanal dos perfumes, era confiada aos sacerdotes, que utilizavam os perfumes diariamente nos seus cultos diários.A rainha Cleópatra, untava as suas mãos com óleo de rosas e violetas e perfumava os pés com uma loção feita de extractos de amêndoa, mel, canela, e flor de laranjeira.
Os mortos durante o processo de embalsamamento, também eram ungidos com misturas de ervas aromáticas.


A civilização grega também criou uma técnica própria de perfumaria.Mergulhando flores e ervas em óleo e vinho, os gregos descobriram a arte de macerar para extrair aromas.
Também os Romanos eram grandes apreciadores de perfume, usando-o nas mais diversas situações. Os nobres romanos possuíam escravos para os massajarem e untarem com essências perfumadas.
Também a tradição cristã está na sua origem associada ao perfume, uma das oferendas que os reis magos trouxeram a Jesus foi o incenso.
Na Europa, na era renascentista, fragrâncias, bálsamos e loções, já eram produtos indispensáveis para as pessoas mais ricas; e na era medieval o perfume era usado para disfarçar odores do corpo. No final século XVIII, o perfume começa a ser associado à sedução e no século XIX, a história do perfume passa a caminhar lado a lado com a da moda, numa parceria que se mantém até hoje.

Perfume e Olfacto

O olfacto desde os primórdios tem sido um dos principais sentidos, na manutenção da sobrevivência humana. Quando algo "não cheira bem", surge uma inquietação que nos faz pensar que algo está mal, seja com a comida, seja com o nosso corpo, ou alguém que se aproxima. Era através do olfacto que os homens das cavernas também se defendiam, ao sentir o cheiro de um animal selvagem aproximar-se. Esse é o único sentido directamente ligado às emoções e ao depósito de memórias. É um sentido bastante sensível, pois bastam pequenas quantidades de moléculas para o estimular, mas só consegue perceber um cheiro de cada vez. Por ser extremamente sensível e estar intimamente ligado ao cérebro e às sensações, sentir um cheiro muito forte de perfume pode ocasionar outras reacções no organismo, como enjoos, dores de cabeça e até mesmo vómitos. Um simples aroma pode nos fazer viajar no tempo. Dizem que o nariz humano pode registar até mais de 4 mil cheiros diferentes.

As fragrâncias classificam-se em:

Cítricos Florais: utilizam matérias-primas extraídas de cascas de frutas tais como lima, limão, laranja, entre outras. 

Florais: a matéria prima é extraída das flores naturais ou desenvolvida sinteticamente em laboratórios.

Fougère: utilizam matérias-primas leves e frescas, normalmente extraídas de madeira, e a elas se juntam a mistura de álcool e raízes. São muito utilizados em fragrâncias masculinas.

Chipre Florais: Utiliza matérias-primas oriundas de musgos, normalmente do carvalho. 

Orientais Florais: suas misturas são constituídas de baunilha, patchouly, ylang ylang.

Couros Secos: Suas matérias primas são extraídas do tabaco, de madeiras, couros, musgos etc. 

Aldeídos Florais: são misturas sintéticas. Possuem um certo frescor inicial picante. 

Aromáticos Secos e Frutados: Geralmente usam condimentos como estragão e manjericão, e especiarias como o cravo, canela, noz-moscada , etc.


A concentração de uma fragrância é classificada de acordo com a quantidade de óleos aromáticos diluídos em um solvente:

Parfum (extrato de perfume): forma muito concentrada, entre 20%-35% de compostos aromáticos (essência).

Eau de parfum (deo perfume): em torno de 12-18% de compostos aromáticos (essência).

Eau de toilette: 08-10% de compostos aromáticos (essência).

Eau de cologne: (deo colônia): 3-5%, baixa concentração de essências (essência).

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

2 comentários:

Joana Teixeira disse...

eu trouxe umas essências puras da Tunísia maravilhosas :)

The Lifestyle Fashion disse...

Joana eu também tenho uma essência baunilhada da Tunísia que comprei na Expo98 em Lisboa e te garanto que o cheiro ainda se mantém e bem forte : )

http://thelifestyleandfashion.blogspot.pt/

Enviar um comentário